Keiko Fujimori Higushi, líder do Força Popular — principal partido de oposição do país— e acusada de liderar um esquema de lavagem de dinheiro que envolve a construtora brasileira Odebrecht, deixou a sede da prisão na noite desta quarta-feira (17). As informações são do agência de notícias Andina. A ex-candidata a presidência e filha do ex-presidente Alberto Fujimori foi inocentada das acusações após cumprir oito dias de detenção preventiva. Keiko disse à imprensa peruana que estava "feliz" e que sua soltura é uma oportunidade para "refletir e passar mais tempo com a família". Ela também agradeceu pelo carinho demonstrado pelas pessoas de seu partido. A política foi detida no dia 10 de outubro quando chegou ao Ministério Público para testemunhar sobre a investigação de lavagem de dinheiro sob a justificativa de que ela poderia fugir do país.